O demônio é um cara carente

O mal existe, tem personalidade e gosta de nos incomodar com suas ofertas e seduções. No começo ele é simpático. É formoso. É agradável como aquele amigo de bar. O pecado até parece gostoso.

Quando caímos ele muda a estratégia e a sedução se transforma em acusação. Ele tenta nos jogar cada vez mais para baixo.

Em tudo isso percebemos que satanás é uma criatura muito carente. Não consegue viver sem ser o assunto principal. Sobrevive de audiência. Ama ser causa de escândalos.

Veja também:

A exposição do Santander
Homossexualidade, psicologia e direito de expressão

Hoje vivemos em um mundo em rede. Precisamos cuidar para não sermos instrumento dos diabos de plantão. Recebo diariamente dezenas de vezes a mesma imagem do peladão da performance sacrílega, do peladinho que chama pedofilia de liberdade artística, da exposição com obras de profanação religiosa. Tive que ver a imagem das hóstias profanadas umas 200 vezes. O demônio vibrava no inferno a cada clic dos santos ingênuos de plantão.

Devemos denunciar o mal; acender as luzes espanta as trevas; proclamar a verdade combate o pai da mentira. Mas cuidado com os detalhes, as imagens, tudo. Sabemos que as notícias que detalham o modo como aquela pessoa se suicidou acorda o instinto suicida de mais pessoas. O Auto-proclamado Estado Islâmico reinava nos compartilhamentos da net. Quando a imprensa mundial percebeu parou de dar detalhes e eles perderam a força.

Pense várias vezes antes de encaminhar para alguém as obras do mal. Ele ama… é carente. Por isso, também eu vou parar por aqui e gastar mais tempo plantando trigo do que arrancando joio.

Faça um comentário